Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Suicídio será tema de mesa redonda na UFT de Tocantinópolis, nesta sexta 29
Início do conteúdo da página

Suicídio será tema de mesa redonda na UFT de Tocantinópolis, nesta sexta 29

Criado: Segunda, 25 de Setembro de 2017, 16h18 | Publicado: Segunda, 25 de Setembro de 2017, 16h18 | Última atualização em Quarta, 21 de Março de 2018, 18h07 | Acessos: 75

A Universidade Federal do Tocantins (UFT), Câmpus de Tocantinópolis, por meio do Curso de Pedagogia, promove nesta sexta-feira (29), às 18h30, no auditório vigilante Adão Ribeiro da Silva, uma mesa redonda intitulada “Precisamos falar sobre suicídio”. O evento é alusivo à campanha nacional do “Setembro Amarelo”.

A ação que tem o intuito de conscientizar acadêmicos, funcionários e população em geral sobre as características e formas de tratamento das principais doenças psiquiátricas que levam ao suicídio e como preveni-lo, terá como público alvo alunos, professores, técnicos, profissionais da saúde e sociedade em geral.

Os interessados em participar, poderão fazer as inscrições presencialmente no horário do evento. Haverá certificado com carga horária de 4h. A mesa de debates será composta pelo técnico, Hemerson Ferreira dos Santos Junior, mestre em Sociologia, responsável pelo setor de assistência estudantil do campus, o qual abordará sobre os aspectos sociológicos do suicídio; pela Professora e uma das organizadoras do evento, Msc. Juliana C. Ipólito, psicóloga, doutoranda em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, que abordará os aspectos biológicos e psicossociais da depressão e do suicídio; e pela Psicóloga do SAPE do campus, Cristina da Cunha Fonseca, que falará sobre o tratamento e prevenção da depressão e do suicídio.

“A intenção é informar sobre os determinantes históricos, sociais, culturais, psicológicos e biológicos da depressão, uma das principais doenças psiquiátricas que levam ao suicídio, desmistificando a temática e prevenindo o comportamento suicida, além de informar a população acadêmica sobre o serviço de atendimento psicológico oferecido pelo campus”, afirma Juliana Ipólito.

registrado em:
Fim do conteúdo da página