Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Equipe do Programa Criança Feliz realiza visitas em Tocantinópolis

Notícias

Equipe do Programa Criança Feliz realiza visitas em Tocantinópolis

SOCIAL

publicado: 22/09/2017 09h42 última modificação: 25/09/2017 16h13

Visitadores do Programa Criança Feliz iniciaram as primeiras visitas domiciliares em Tocantinópolis. Voltado ao desenvolvimento integral de crianças de baixa renda, o programa contempla 150 famílias do município. Os atendimentos estão sendo realizados por uma equipe composta de cinco visitadores, além de uma coordenadora/supervisora. A intenção é fazer com que as crianças tenham melhores condições de aprendizado.

A coordenadora do Programa Criança Feliz (PCF), em Tocantinópolis, Verônica Macedo, destaca que há pelo menos dez dias, os visitadores estão em campo fazendo visitas domiciliares. Crianças de zero a até seis anos de anos de idade recebem os acompanhamentos educativos semanais, e as gestantes mensalmente. Nos encontros, os visitadores repassam às famílias as informações sobre como estimular o desenvolvimento dos filhos.

Uma das primeiras famílias atendidas pelo PCF, foi a da Francislene da Silva Sousa, mãe do Davi Luiz, 3 anos de idade. Ao concordar em participar do Programa, ela ressalta que o acompanhamento vai contribuir para o desenvolvimento de seu filho como também no comportamento dos próprios pais, o trará ganhos para toda a família.

As famílias indígenas também estão sendo contempladas com o programa do governo federal. Nas comunidades indígenas recebem os mesmos atendimentos de incentivo à educação. Dentre as aldeias contempladas estão: São José, Cocal, Prata, Bacabal e Mariazinha. Ao todo 15 famílias contam com o acompanhamento do Criança Feliz.

Sobre o Programa

O Programa Criança Feliz tem como foco o desenvolvimento integral das crianças brasileiras, principalmente daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O principal objetivo é assegurar as condições para que elas desenvolvam seu pleno potencial. Para isso, há uma estratégia de visitação domiciliar que visa atender famílias com crianças até 3 anos de idade. No caso de crianças em situação de extrema pobreza ou necessidades especiais, o apoio se estende até os 6 anos de idade.

Nos encontros, as famílias recebem informações sobre como estimular o desenvolvimento dos filhos, como foco em temas como saúde, educação, cultura e garantia de direitos. A expectativa do governo federal é atender cerca de 4 milhões de crianças até 2018.

Fonte: Dirceu Leno / Ascom Prefeitura com informações de Verônica Macedo