Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Bancos demoram na liberação de senhas e Prefeituras ficam sem acesso a recursos

Notícias

Bancos demoram na liberação de senhas e Prefeituras ficam sem acesso a recursos

publicado: 12/01/2017 09h25 última modificação: 17/04/2017 09h27

Se não bastasse a situação financeira da qual se encontra os municípios brasileiros, os novos prefeitos ainda têm que habituar-se com o atraso na validação de documentos que deferem acesso às contas da Prefeitura, pelos Bancos do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Tocantinópolis, município localizado à região do Bico do Papagaio, não ficou livre dessa situação. Há 11 dias no comando da Prefeitura, o prefeito Paulo Gomes (PSD), aguarda liberação das senhas das contas, pelos órgãos bancários correspondentes.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) entrou em contato com a diretoria de governo do Banco do Brasil para pedir esclarecimentos sobre a demora. A exemplo de Tocantinópolis, outros 4.232 Municípios estão sob uma nova gestão. Nesse contexto, o entendimento da Confederação é que a demora na liberação prejudica o cumprimento dos deveres do gestor municipal e bom andamento da administração pública.

“Estamos esperando que os bancos liberem os acessos das contas públicas, para que assim,possamos perpetrar o pagamento dos nossos funcionários, fornecedores, bem como realizar os serviços essenciais pertencentes às áreas da saúde, educação e limpeza pública. Sem o gerenciamento das contas, o município fica inviável de fazer os pagamentos que estão pendentes, como água, luz, telefone, internet, entre outros”, frisou o prefeito Paulo.

Para evitar esses impedimentos, a CNM encaminhou à instituição bancária nesta terça-feira (10), um ofício em que solicita celeridade na liberação desses cadastros e o acesso às contas municipais.

Em contato realizado, a diretoria de governo do BB disse que a validação da documentação dos gestores é centralizada em São Paulo e que por medida de segurança é feita de forma manual. Dessa forma, a previsão é que após a formalização da regulamentação dos documentos, as agências bancárias liberem os cadastros, condicionando o gerenciamento de acesso das contas municipais aos gestores públicos.

Fonte/Foto: Dirceu Leno com informações da CNM